Infraestrutura

Os laboratórios que neste momento servem de apoio às atividades do PPGOCEANO são:

– O Laboratório de Oceanografia Costeira pertence ao Departamento de Geociências e tem como objetivo desenvolver pesquisas oceanográficas e sedimentológicas, com ênfase nos sistemas costeiros / abrigados (estuários, lagunas, baías e enseadas, praias e plataforma continental interna). Encontra-se localizado na Estação de Maricultura da Barra da Lagoa em Florianópolis e os integrantes têm atuado nos cursos de graduação em Geografia, Oceanografia, Geologia e Engenharia de Aquicultura e nos programas de Pós-Graduação em Geografia e Ecologia da UFSC. O laboratório encontra-se equipado para a realização de pesquisas, diagnósticos e monitoramentos costeiros e marinhos nas temáticas de Geomorfologia costeira e submarina, Sedimentologia, Geoacústica marinha e Hidrografia, Hidroquímica, Circulação costeira e Indicadores biossedimentológicos (foraminíferos e tecamebas). Para o desenvolvimento dessas investigações tem priorizado o emprego de técnicas de processamento digital de dados espaciais do meio marinho através da utilização de softwares de integração estatística multivariada e tratamento de bases de dados georreferenciadas (Sensoriamento Remoto e SIG), bem como modelagem numérica de processos costeiros. Sua infra-estrutura foi obtida a partir de projetos de pesquisa financiados pela Canadian International Cooperation Agency (CIDA), Fundo Nacional para o Meio Ambiente, PETROBRÁS, CNPq (Instituto do Milênio), MCT (CT-Hidro), FINEP, FAPESC, CAPES (Ciencias do Mar), MMA, Fundo Clima, entre outras agências de fomento. Participa ativamente de quatro – Institutos Nacionais do CNPQ.

– O Laboratório de Oceanografia Física (em implantação) pertence ao Departamento de Geociências e tem como objetivo desenvolver pesquisas nas áreas de circulação costeira e de oceano aberto e seus efeitos no clima e biodiversidade. Vem atuando nos cursos de graduação de Oceanografia e Meteorologia. O laboratório encontra-se equipado para a realização de campanhas oceanográficas costeiras, modelagem numérica e processamento de imagens digitais. Sua infraestrutura foi obtida a partir de projetos de pesquisa financiados pelo CNPq, FNDCT, MCT. Dentre os principais convênios mantidos no laboratório, destacam-se:  Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Mar – Centro de Oceanografia Integrada (INCT-Mar COI); Componente OCEANO do Programa em Mudanças Climáticas – Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT-Clima) e o Núcleo de Apoio à Pesquisa – MUDANÇAS CLIMÁTICAS (NapMC).

– A Base de Observação do Oceano e Atmosfera (BOOA) foi construída com recursos do CNPq (406801/2013-4), através de uma parceria realizada entre a UFSC e a empresa Plataforma de Pesca Entremares de Balneário Arroio Silva, SC. O objetivo é realizar medições (séries temporais) dos oceanos e atmosfera, mas com a vantagem de uma plataforma fixa, segura, de baixo custo de manutenção, fácil acessibilidade e possibilidade de apoio a outros projetos. Os projetos arquitetônicos e estruturais foram concluídos de Agosto a Outubro de 2015. A obra do laboratório, incluindo a alvenaria estrutural, pintura, instalação de pisos, janelas e instalação da parte elétrica foi realizada de 15/02/2016 a 05/08/2016 (Figura 1). Devido a antecipação de uma torre meteorológica, foi necessária a contratação de um projeto e a instalação de um para-raios na plataforma. Em Dezembro de 2016 um LIDAR (perfilador de ventos) foi finalmente instalado na laje do laboratório para pelo menos um ano de medições dos ventos oceânicos. Também foi instalado um sensor de temperatura do mar nos pilares da plataforma. A estrutura da laje do laboratório foi calculada para suportar a instalação de um torre meteorológica de alumínio auto-portante de 10 m de altura (Figura 2). A mesma foi instalada no final de 2016 e conta com sensores de velocidade e direção do vento, temperatura do ar, umidade, pressão atmosférica. Por estar acima do laboratório da Plataforma de Pesca Entremares, a altura das medições pelo anemômetro sônico corresponde a 20 m acima do nível médio do mar (Figura 2).

Figura 1 (A) Fotografia aérea da plataforma de pesca (píer) costeiro de Balneário Arroio Silva, SC. (B) Projeto arquitetônico do laboratório, localizado na parte distal do pier, com LIDAR no topo e torre de medições. (C) Laboratório construído, com janelas, portas e instalação elétrica.

Figura 1 (A) Fotografia aérea da plataforma de pesca (píer) costeiro de Balneário Arroio Silva, SC. (B) Projeto arquitetônico do laboratório, localizado na parte distal do pier, com LIDAR no topo e torre de medições. (C) Laboratório construído, com janelas, portas e instalação elétrica.

Foto 2

Figura 2 (A) Montagem da torre de alumínio auto-portante e instalação de seus componentes. (B) A fotografia ilustra a torre montada sobre o laboratório da plataforma de pesca.

– O Laboratório de Hidráulica Marítma pertence ao Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSC e atua na investigação científica de fenômenos físicos do ambiente marinho, com ênfase na zona costeira, por meio tanto de medições de campo quanto na modelagem matemática e estatística dos fenômenos relevantes. Tem como objetivo desenvolver modelos matemáticos para a previsão de ondas, gerando suporte para as disciplinas de graduação e pós-graduação ligadas à hidráulica marítima, atuando principalmente no curso de Pós-graduação em Engenharia Ambientaç da UFSC, na linha de pesquisa de “Hidrodinâmica Costeira e Ecologia de Sistemas Marinhos Costeiros. Para o desenvolvimento de projetos de previsão, coleta e apresentação de dados de onda on line na costa de Santa Catarina, o laboratório conta com ecossonda, ondografo direcional datawell; marégrafo digital, de pressão e de ultrassom; ADCP de água rasa; miniCTD; estações meteorológicas automáticas; gps de campo; computadores; DGPS, sondas multiparâmetro e um laboratório de análises sedimentológicas. Também possui licenças dos principais softwares de Geoprocessamento (ArcGIS, IDRISI, Surfer e SPRING), além de uma ampla base de imagens de satélite e cartas toporáficas e batimétricas em meio digital. Recebe financiamento via projetos instucionais CNPq, FAPESC e PETROBRAS. Os principais convênios de colaboração científica ocorrem com a SCRIPPS e com a DHI.

– O Laboratório de Clima e Meteorologia pertence ao Departamento de Física da UFSC e tem por principal objetivo prover suporte para análise de dados meteorológicos e climáticos e modelagem numérica da atmosfera e dos oceanos. Atua principalmente no suporte a alunos de graduação e pós-graduação nas áreas de Física e Meteorologia. O laboratório é equipado com 08 computadores de suporte e cluster de alto desempenho, recebendo financiamento pelo Projeto Universal do CNPq, Projeto CHUVA (INPE), Rede Clima (Sub-rede em desastres naturais); Projeto REMAN (Rede de Monitoramento de Eventos Extremos na Amazônia) e Programa LBA (Large-Scale Biosphere-Atmosphere Experiment in Amazonia).

– O Laboratório de Estudos em Direito Aquaviário e Ciência da Navegação está estruturado em dois núcleos o AQUASEG e o AQUALAB. Ambos desenvolvem atividades universitárias de pesquisa e de extensão. O AQUASEG desenvolve pesquisa, ensino e projetos visando a segurança da atividade náutica, na pesca, no transporte, no esporte e recreio, em seus vários aspectos, sempre relacionados com a navegação, o trabalho, o meio ambiente, o comércio e os serviços em meios aquaviários. O AQUALAB trata do desenvolvimento do transporte aquaviário brasileiro, objetivando pesquisar a viabilidade sócio-jurídica de empreendimento naval e portuário para transportar passageiros nas regiões urbanas e interurbanas e entre as Capitais brasileiras costeiras como meio de transporte aquaviário. O laboratório foi aprovado, para execução em 2011, do Edital 5/MEC/SESU PROEXT/2010. Este, objetiva a capacitação informativa na área do trabalho do pescador artesanal, principalmente, na segurança da navegação e assuntos relacionados à atividade profissional, como a segurança do trabalho e o acesso ao conhecimento de atuais tecnologias para prevenção de acidentes. Outros financiamentos: PIBI, PIBIC que são programas de bolsas de Iniciação Científica. Pro-Extensão e Pro-Bolsas, que são programas de apoio as atividades de extensão. O Laboratório conta com 3 micro computadores, 2 portáteis, um desktop, impressora, projetor multimídia, tela de projetor multimídia, equipamentos de navegação e segurança da navegação: GPS, radio VHF, cartas náuticas, livros, colete salva-vidas, bóia circular, sinalizador. Conta-se com o apoio do Instituto Anjos do Mar Brasil, Marinha do Brasil – Capitania dos Portos de Santa Catarina e da Polícia Militar de Santa Catarina. Recebe também apoio do Centro de Espectrometria de Massas Aplicada para atividades de consultoria técnica e parceria.

– O Laboratório de Ecologia de Ambientes Recifais do Departamento de Ecologia tem por objetivo estudar as estruturação das comunidades bênticas e interações ecológicas em ambientes recifais. Atua nos cursos de Oceanografia, Bacharelado em Ciências Biológicas e no Programa de Pós-graduação em Ecologia. Encontra-se equipado com 2 lupas Zeis Stemi DV e 3 Computadores de mesa com softwares para análises de imagem e programas estatísticos. Dentre os principais projetos vinculados ao laboratório, cita-se o Projeto Coral Vivo, financiado pelo Programa Petrobras Ambiental, tendo iniciado em 2007 e seguindo até dias de hoje. O principal objetivo deste projeto é estudar os ambientes recifais brasileiros de forma multidisciplinar e multinstitucional, nas três linhas de ação universitária: pesquisa, ensino e extensão.  O Projeto Sisbiota-MAR – Rede Nacional de Pesquisa em Biodiversidade Marinha, financiado pelo CNPq e Fapesc, abrange toda a extensão da biota marinha recifal brasileira e será constituída de três núcleos principais, um em cada região que abrange a distribuição de ambientes recifais no Brasil: Sul (nucleado na UFSC), Sudeste (nucleado na UFES) e Nordeste (nucleado na UFRPE).

– O Laboratório de Crustáceos/ Plâncton  do Departamento de Ecologia e Zoologia da UFSC e tem por objetivos: 1) desenvolver pesquisas sobre ecologia de larvas de crustáceos, ovos e larvas de peixes, larvas de invertebrados, eufausiáceos e copépodos 2) desenvolver pesquisas com caranguejos das ilhas oceânicas brasileiras e crustáceos em unidades de conservação e/ ou de interesse econômico. Esses estudos são realizados na Baía Norte e Sul (Florianópolis, SC), Reserva Biológica Marinha do Arvoredo (SC), Atol das Rocas, Fernando de Noronha, Arquipélago de São Pedro e São Paulo, Abrolhos e Ilha da Trindade. 3) desenvolver atividades de extensão relacionados a educação ambiental e pronto atendimento de animais marinhos e silvestres. O Laboratório de Crustáceos/plâncton está equipado com 4 microscópios esteroscópicos e 4 computadores e periféricos. Dentre os principais projetos mantidos, cita-se Ecologia e Conservação da Fauna Demersal das Baías Norte e Sul da Ilha de Santa Catarina, com vigência até 2014 e que recebe apoio financeiro da FAPESC. O Projeto Monitoramento de longa duração das comunidades recifais das ilhas oceânicas brasileiras recebe apoio financeiro do MCTI/CNPq e tem por parceiros a UFRJ, UFES e UFCE.

– O Laboratório de Bentos tem por objetivo realizar estudos sobre Ecologia de Comunidades Bênticas Marinhas, atua nos cursos de graduação em Oceanografia e Biologia e nos programas de Pós-graduação em Ecologia e Botânica. O laboratório encontra-se equipado com 03 microscópio estereoscópico e 01 microscópio óptico, tendo convênios firmados com centros nacionais e internacionais. Os projetos de pesquisa contam com o apoio da FAPESC, CNPq e CAPES.

– O Laboratório de Ficologia (LAFIC), Depto de Botânica, CCB-UFSC, Florianópolis: O LAFIC é um laboratório de pesquisa, ensino de pós-graduação e prestação de serviços lotado no Depto de Botânica da UFSC. Apresenta duas seções em ambientes separados: Seção de Microalgas (Prof. Dra. Roselane Laudares Silva e Prof. Dr. Leonardo Rubi Rörig) e Seção de Macroalgas (Prof. Dr. Paulo Antunes Horta Jr. e Prof. Dr. José Bonomi Barufi). As linhas de pesquisa envolvem a taxonomia, ecologia, ecofisiologia e biotecnologia de algas. Os trabalhos técnicos abrangem a análise qualitativa e quantitativa do fitoplâncton e fitobentos, ensaios ecotoxicológicos com algas e avaliações ambientais integradas de ecossistemasaquáticos, com ênfase em marinhos. Área Total: 162 m2. Composta por espaços destinados às diferentes atividades de laboratório e 3 Salas de Cultura (micro e macroalgas) com controle ambiental. Apresenta várias cepas de microalgas e ainda conta com o setor de algas do Herbário FLOR (Index Herbariorum). O LAFIC conta com estrutura para trabalhos de microscopia (processamento de imagem, microscopia invertida etc.); acesso ao Laboratório Central de Microscopia Eletrônica (LCME – UFSC); infra-estrutura para coleta, isolamento e cultivo de microalgas. Os trabalhos envolvendo biologia molecular são realizados em laboratórios parceiros dentro e fora do departamento de Botânica da UFSC. Principais equipamentos: microscópios de pesquisa com analisadores de imagem (2), microscópio invertido, microscópios ópticos (6) espectrofotômetros (2), fluorímetro, fluorímetro de pulso de amplitude modulada, irradiômetro, refratômetros (2), condutivímetros (2), turbidímetro, oxímetro, phmetros (2), estufas (6), incubadoras com fotoperíodo (5), agitadores orbitais (3), GPS (2), computadores (10), analisador de Carbono Orgânico Total, além de acessórios e equipamentos de amostragem de água e sedimentos.

Laboratório de Oceanografia QuímicaBiogeoquímica marinha (Implantado em 2016): O LOQuim do departamento de GCN da UFSC visa dar suporte as atividades de pesquisa, ensino de Pós-graduação e de extensão no âmbito da Oceanografia Química. Neste espaço são processadas amostras de água e de sedimento para análise química de elementos traços, compostos orgânicos e nutrientes proveniente de ambiente continental e marinho. Amostras da biota tambémpodem ser processadas para avaliar a composição química e o acúmulo de elementos químicos nos tecidos. O laboratório conta com área destinada à experimentação in vitro, permitindo avaliar a transformação da matéria nos diferentes compartimentos dos ecossistemas marinhos-coesteiros. Os dados gerados visam compreender o transporte e a transformação da matéria na interface terra-mar, na plataforma continental rasa e no oceano profundo; com enfoque aos impacto das atividades antrópicas e às mudanças globais. As atividades desenvolvidas, por meio de uma abordagem multidisciplinar, aborda a ecologia de ecossistemas marinos-costeiros e dos compartimentos oceânicos. O laboratório conta com 02 técnicos laboratoriais de análise química e equipamentos como espectrofotômetro, geladeira para incubações e Freezer, balanças analíticas, estufa, muflas, destiladores, deionizador, garrafas de Van Dorn e bombas à vácuo.